1/1

Poesia para os Ouvidos

Performance interativa que explora a improvisação cênica através do ato de, literalmente servir literatura. A ação cênica desmistifica o contato com a literatura, através da aproximação do ato de servir palavras, por meio de um indivíduo muito conhecido por todos, o garçom!

CHÁ DE CLARICE

Clarice como ninguém soube relatar de forma poética as nossas contradições, angústias e pequenas alegrias cotidianas. Sua poesia, sua forma de sentir, assim como os sabores dos chás, possuem um sabor doce mas conservam um toque amargo e um tanto reflexivo.

 

CHÁ DE CECÍLIA

Nessa performance exploramos além das poesias de Cecília, trechos de seu livro Olhinhos de Gato, outro grande clássico da autora. Cecília Meireles é um dos maiores nomes da literatura em língua portuguesa, talvez a mais lírica voz do modernismo brasileiro, que cantou como poucos a reinvenção da vida e a passagem do tempo.

 

CAFÉ DA TARDE COM MANOEL DE BARROS

Um dos mais aclamados poetas contemporâneos brasileiros, Manoel de Barros criou um universo próprio, com construções que não respeitam as normas da língua padrão. Em sua obra, "a eleição da pobreza, dos objetos que não têm valor de troca, dos homens desligados da produção (loucos, andarilhos, vagabundos, idiotas de estrada), formam um conjunto residual que é a sobra da sociedade capitalista; o que ela põe de lado, o poeta incorpora, trocando os sinais".

 

CAFÉ COM DRUMMOND

Alvo de admiração irrestrita, tanto pela obra quanto pelo seu comportamento como escritor, Carlos Drummond de Andrade, poeta da ordem e da consolidação, ainda que sempre, e fecundamente, contraditórias. Testemunha lúcida de si mesmo e do transcurso dos homens, de um ponto de vista melancólico e cético, os principais temas abordados em sua obra são: conflito social, a família e os amigos, a existência humana, a visão sarcástica do mundo e das pessoas e as lembranças da terra natal.

 

CAFÉ COM QUINTANA

A melhor definição para Mario Quintana, foi feita por ele mesmo, em 1984: “Eu sempre achei que toda confissão não transfigurada pela arte é indecente. Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão." Essa é a visão do poeta aclamado, sendo um dos mais respeitados e queridos poetas da nossa literatura.

 

Opcionais

CHÁ DE SUASSUNA

CHÁ DE RUBEM ALVES

CHÁ DE POESIA MARGINAL

Cultivando valores. Realizando ideias.

  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - cinza Círculo
  • Facebook - Grey Circle

Rua Tagipuru, 185 - Barra Funda 

São Paulo - 01156-000      

+55 (11) 2369-9377

Rua João Nascimento Costa, 17 - Olaias 

Lisboa - 1900-269 

+351 912 568 940

Rua Bartolomeu de Gusmão, 220. Carianos - Florianópolis  

Santa Catarina - 88047-520 

+55 (11)96065-1030